mil novecentos e sessenta e um – dia 242

1961242 QUARTA 30

Uma grande estafa foi o que ontem aconteceu, tal como seria de esperar. A estrada até ao mar tem prolongadas subidas e descidas e, com aquele equipamento todo, ir e voltar é uma tarefa de esforço considerável, mesmo em marcha moderada como foi o caso. Hoje a instrução decorreu mais tranquila, para recuperação.

Ontem cumpriu-se um mês neste exílio ou desterro de Mafra. Até quando vai durar e como vai acabar? Acho que não vale a pena pensar excessivamente nisto.

Volto aos jornais de Portalegre, sobretudo ao meu favorito, a Rabeca. Este último número traz a Serra em dois pretextos diferentes. Um deles, extenso, é sob a forma de uma entrevista com o marco geodésico ou o pinoco, como lhe chamamos. É claro que é a fingir, mas o autor, I. C. Morais (não conheço!), procura falar de diversos assuntos relacionados com o valor e a importância da Serra. Assim, é abordado o turismo, tanto o nacional como o estrangeiro, os caminhos, a mata nacional, a ribeira de Arronches que ali nasce, as belas paisagens, a hipótese de ser a sede do sanatório que acabou por ser edificado na cidade e outros assuntos menores. Talvez houvesse mais aspectos e bastante interessantes para incluir na entrevista fingida, mas já me pareceu importante ter a Serra merecido as honras de mais de metade de uma página.

A outra referência é muito mais reduzida mas também tem o seu valor, pois dá conta de que o Clube de Ténis vai construir um Campo de Tiro a Chumbo na Serra de Portalegre. É pena o clube ser só da gente selecta e dos doutores da terra, mas mesmo assim será um melhoramento para a cidade.

Passando a assuntos de nível nacional e internacional, ao ler o Diário de Lisboa encontrei os temas de habitual preocupação.

O jornal traz o texto integral da entrevista que o dr. Oliveira Salazar concedeu ao Globo, do Rio de Janeiro. Já aqui citei o caso da censura e não vale a pena falar mais disso, até porque os jornais continuam a ser devidamente visados pela mesma… Conversa fiada, afinal!

O vice-presidente brasileiro João Goulart partiu de Paris para Nova York, de onde deve dirigir-se para Porto Alegre. Porto Alegre e não Portalegre, claro! A incerteza sobre o que vai acontecer mantém-se…

Sobre Berlim não houve hoje qualquer novidade. Será bom sinal?

Quanto a Angola, as atenções recaem sobre a serra do Uíge onde parece terem-se concentrado os terroristas foragidos. Foi reocupada a povoação de Bengo e têm sido executadas operações de limpeza na região do Quitexe. Mas houve duas fazendas incendiadas e foi publicada mais uma relação de militares mortos por acidente e em combate. Nesta triste lista vem outro portalegrense.

Mas prefiro falar disso amanhã.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s