mil novecentos e sessenta e um – dia 332

1961332-terca-nov-28

Como era de esperar, a tal moção afro-asiática contra nós foi largamente aprovada na Assembleia Geral da ONU, onde nenhum país votou a nosso favor. Apenas houve quatro abstenções, França, Grã-Bretanha, África do Sul e Espanha. Países que se dizem nossos amigos e aliados, como por exemplo o Brasil ou os Estados Unidos, estiveram contra nós… Conclusão: estamos cada vez mais isolados, para não dizer tramados!

Continua a não haver no Diário de Lisboa de hoje qualquer referência aos recentes ataques terroristas no Norte de Angola.

Sobre as inundações de Sevilha e do Ribatejo parece que as coisas estão a melhorar. Aliás o tempo hoje foi mais tranquilo, sem chuvadas intensas…

A notícia de hoje mais próxima de Portalegre é a de um estranho acidente de comboio em Vale do Peso, onde morreram três pessoas, uma delas portalegrense, que era caixeiro viajante e que não conheço. Ficaram mais cinco passageiros feridos, alguns moradores na região.

Parece que será lançado amanhã no espaço, em Cabo Canaveral, um chimpanzé astronauta. Este assunto tem estado muito parado…

Mais nada achei com interesse na edição de hoje do Diário de Lisboa, por onde hoje comecei estas notas do diário.

Pelo convento não houve qualquer novidade e isto vai-se tornando maçador, porque não acontece nada e a instrução já não adianta seja o que for. Está toda a gente saturada.

Estou desejoso pelo dia de amanhã, para ir passear pelos ares, de avião. Oxalá o dia, como hoje prometeu, seja favorável.

Já li a Rabeca, tal como previra.

A primeira página é repartida entre um artigo do dr. Galiano Tavares, sobre Aspectos Sociais, onde aborda de forma muito intelectualizada a questão do homem e da felicidade; um ofício da Liga Portuguesa da Profilaxia Social que felicita o jornal pela sua campanha contra o pé descalço; e um texto onde se dá conta de que talvez seja desta que Portalegre verá satisfeita a sua antiga aspiração de possuir um Hotel, porque há interesse de uma companhia de petróleos nessa construção. Será desta? Quando vir acredito, antes não!

Na secção Poesia Nova, dirigida pelo Fernando Martinho, vem destacado o escritor portalegrense Orlando Neves que já colaborou no Boletim Especial do Amicitia.

A Associação de Futebol de Portalegre fez cinquenta anos e é a mais antiga do país, logo a seguir à de Lisboa. Há ainda um artigo sobre o papel e o valor da bandeira e do hino nacionais, por vezes um bocado esquecidos.

Na última página, a Rabeca lembra o costume das castanhas assadas e das suas tradicionais barracas de venda.

Estes são, entre outras matérias para mim sem importância de maior, os assuntos mais ou menos portalegrenses que o jornal me trouxe à memória e à saudade, nesta semana.

Até amanhã, espero que com outros voos…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s