1917- há cem anos – nove

17-guerra-cabec3a7alho-1

No seu número de 28 de Janeiro de 1917, “A Rabeca” ostenta na sua 1.ª página o artigo “Tropas Expedicionárias“, subscrito por Zé Côdea, onde se compara a frustrada despedida a uma bateria de Artilharia de Montanha que há meses fora para África com o eufórico e actual adeus aos militares de Infantaria 22 . No interior, com o título “Os nossos soldados“, uma pequena peça traz as últimas notícias: “De Lisboa – onde se acham a bordo, aguardando com ansiedade a hora da partida para as trincheiras francesas – temos recebido, quase todos os dias, notícias dalguns nossos amigos, briosos expedicionários. Da correspondência recebida ontem, destacamos o seguinte significativo bilhete: ‘À Redacção d’A Rabeca. Encontrando-me em Lisboa, pronto a marchar para a França, venho por este meio despedir-me, confiado de que em breve regressarei a Portugal, depois de ter cumprido o meu dever nos campos de batalha. Glória à nossa bandeira. Viva a Pátria de Camões. Viva o exército. Manuel da Cruz Serpa, músico de 2.ª classe de infantaria 22.’ Mais uma vez auguramos aos valentes soldados, nossos irmãos, uma boa sorte”.

09-rabeca1

Começara a girar, para José Cândido e os seus camaradas, a roda da sorte.

09-no-barco-1O transporte do Corpo Expedicionário Português, tal como ficara previsto, vai realizar-se com partida de Lisboa, por via marítima, até Brest, na Bretanha.

Sete navios ingleses, sob as designações de código A, B, C, D, E, F, e G, mais dois portugueses, o Gil Eanes e o Pedro Nunes, asseguram a ligação inicial. Partem do porto de Lisboa do dia 30 de Janeiro e chegam ao seu destino a 2 de Fevereiro.09-no-barco-2

Dessa viagem guarda José Cândido duas fotografias e dois (elegantes) menus, em língua inglesa, da Ellerman’s City Line, relativos aos jantares a bordo do navio B (City of Benares) nos dias 26 e 27, enquanto nervosamente ainda aguardava a partida:

          26.1.17   Menu   Dinner:
 1                     Creme de poisson
2                      Fillets Fish, Maitre d’Hotel Sauce
3                      Ragout Ox Jail
4                      Roast Beef and Boiled Potatoes
                        Potatoes  Vegetables
5                      Souffle  Pudding
6                      Coffee

          27.1.17       Menu    Lunch:
1                      Verimicelli  Soup
2                      Beef Steak   Mkidney  Pie
3                      Chilou   China
4                      Malay   Curry
                        Boiled Potatoes
5                      Cold Roast  Beef
6                      Ground  Riss   Pudding
                        Biscuits    Cheese    Coffee

imagem626

Tal espera ainda permitiria aos militares embarcados enviar e receber alguma correspondência. A José Cândido, sob o endereço de “chefe de música do 2.º Regimento de Infantaria da 1.ª Brigada Expedicionária a França” (ou do “Corpo Expedicionário Português, C. E. P.”), a bordo do Vapor B (City of Benares), Lisboa, chegarão pelo menos três postais, do seu camarada de armas Piedade Guerreiro, de D. Thomazia Alves e, o mais significativo, da sua filha Benvinda: “Recebi os seus postais ilustrados, e antes, outro postal e também uma carta. Foi grande a minha alegria por saber notícias suas. Envio-lhe um abraço e muitos beijos. Muitas felicidades. Viva Portugal e os Aliados e agora é para a frente“.

Datado de Lisboa, 29 de Janeiro, apenas resta um bilhete enviado para a filha por José Cândido: “É uma hora da tarde e acabo de ser informado que partimos hoje às 4 da tarde. Será desta? Ainda duvido, mas seria conveniente liquidar tal situação, que é tudo quanto há de mais enervante. Recebi o teu bilhete que estimei e agradeço“. 09-postal-fev17a

A viagem, arriscada e por isso escoltada, acaba por processar-se com inteira normalidade.

O próximo postal é já escrito a partir de Brest, a 2 de Fevereiro, e com o carimbo da Censura: “Depois duma viagem horrorosa fundeámos hoje de manhã nesta terra onde teremos um dia de demora (…) Saímos de Lisboa no dia 30 às 6 h 20 m da tarde“. No dia 5 de Fevereiro, escreve um bilhete ilustrado para o pai, com uma vista da cidade, igualmente datado de Brest e com o mesmo inevitável carimbo censório: “Desembarquei hoje com um bonito dia de sol francês. A cidade é lindíssima“. Também no mesmo dia 5 escreve à filha um postal similar: “O tempo continua muito frio, mas com bonito sol; não o nosso sol de Portugal. Julgo que só no dia 7 é que retiramos para Ruan“. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s