1917 – há 100 anos – quinze

22 de Março – “França. Melhorei muito; não calculas o quanto estava mal alojado. Estou juntamente com o Comandante e o médico. (…) A villa onde estou alojado faz-me lembrar muito a Quinta Branca. [O local onde J. C. vai permanecer algum tempo é Enquin-les-Mines, justificado tanto por um bilhete que mais tarde receberá da sua actual “hospedeira” como pela datação de uma poesia] (…) Quase todos os oficiais cortaram o bigode; é moda mas por enquanto não segui tal moda. É regulamentar fazer a barba todos os dias. As dúzias de ovos nesta terra constam de 13 ovos. O Joaquim já está bom“.

13 de Março – Portalegre: “Já estou de posse do seu lindo retrato; nem o Papá poderá fazer ideia de quanto fiquei contente quando o recebi. Está muito parecido, muito bonito e até mais gordo do que estava quando retirou daqui; todos são da minha opinião“.

23 de Março – “França. A tua carta estava muito bem escrita e com letra bonita. Gostei muito. (…) Às 5.as feiras não há escola. Ainda hoje não nevou mas está muito frio“.

24 de  Março – “França. Quando desembarcámos em França fomos a um cine e o director da orquestra para nos ser agradável tocou o Hino da Carta que teve de ser ouvido de pé e agradecido. Ainda lá não era conhecido o nosso Hino – A Portuguesa. Comprei há dias um álbum com os Hinos de todas as Nações; no de Portugal ainda figura o de D. Fernando!… Bandeiras portuguesas é coisa rara. Amanhã há uma grande festa militar, aonde vou com a banda. (…) Quando estou na cama, os passarinhos vêm para o beiral da janela do meu quarto cantar“.

25 de Março – “França. Desejo que tenhas uma Páscoa muito feliz, desejando que a de 918 a possa passar na tua companhia“.

26 de Março – “França. A festa militar foi muito brilhante. A Banda do 22 agradou muito. No fim da festa as bandas reunidas executaram os Hinos debaixo da minha direcção. No meio da festa apareceram pairando sobre a nossa cabeça uns 20 ou 30 aeroplanos. (…) Quando chego à janela do meu quarto, lembro-me muito de Gião, quando ali fui passar a Páscoa contigo. Mando-te o “menu” dum dos muitos banquetes que por cá temos tido. Hoje há um grande almoço em que tomam parte vários oficiais ingleses e o chefe de E. M. da 1.ª D“.

27 de Março – “França. Não sei se já te disse que as casas em França são muitíssimo confortáveis, todos os compartimentos têm fogão. Os quartos de dormir têm belíssimas camas e tudo muito bem disposto. As cozinhas parecem salas de visitas. Em geral há pouca pobreza. (…) Em as francesas vendo dois ou mais irmãos muito parecidos, estranham tal facto, porque é para elas grande admiração que em Portugal os filhos sejam todos do mesmo pai!“.

28 de Março – “França. Quando regressei da revista trazia agarradas às botas, grevas e calções mais de dois quilos de lama. O primor das casas em França concentra-se no rés do chão. As janelas não têm portas de madeira e não há receio dos gatunos. Nas terras que tenho visto, duas bastante importantes principalmente uma delas, ainda não vi mulheres bonitas. Em Portugal há mulheres muito mais formosas que em França. Manda dizer se algum dos bilhetes que te tenho escrito tem sido censurado. Tenho tido o maior cuidado no que escrevo. Os franceses são muito interesseiros e económicos“.

A resposta de Benvinda sobre a ausência, visível, de Censura tranquilizará o pai. A partir de então o discurso deste irá, pouco a pouco, soltar-se…

21 de Março – Portalegre: “Todo o meu desejo é que o meu Papá tenha muita saúde e seja muito feliz; é isto que eu peço a N. Senhora, muito esperançada que Ela o livrará de perigos. O tempo tem estado muito invernoso; só há quatro dias é que melhorou“.

21 de Março – Postal do tenente-coronel Lacerda Machado, antigo comandante, de Portalegre para J. C. M. : “Meu prezado Amigo. Muito apreciei as suas notícias. Sai das suas preocupações artísticas para, nas partituras culinárias, fazer a harmonia entre a receita e o custo horripilante dos pitéus. Uma rapsódia em que entre frango, coelho e bacalhau, custa o preço dum prédio na Avenida! Apre! Lembranças do seu amigo  L. Machado“.

30 de Março – “França. Fui ontem dar um passeio de carro a uma cidade muito bonita, com o tenente Maltez e o médico do regimento. [Com alguma probabilidade, esta cidade será Fruges, um pouco a sudoeste?] Quase todos os dias temos serviço. Amanhã vamos a uma revista numa terra que ainda não conheço. No domingo há uma grande formatura de regimento“.

22 de Março – Portalegre: “Não foi só em França que caiu neve, também por cá caiu bastante“.

Nevara em Portalegre…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s