Hergé, Tintin e a Medicina – dez

19 . Coke en Stock

A aventura começou a ser divulgada na revista Tintin em 1956. Foi publicado em álbum em 1958. É a primeira aventura de Tintin que integra, recuperando-as, um grande número de personagens de episódios anteriores como o general Alcazar, o emir do Khemed e Abdallah, J. M. Dawson, Allan, o Dr. Müller, Oliveira da Figueira, Bianca Castafiore e Serafín Lampión. Hergé foi rotulado como racista, tendo publicado em 1967 uma nova edição do álbum, corrigida, onde modificou a forma de expressão oral das vítimas do tráfico de escravos.

Argumento: Nesta aventura, os nossos heróis vão viajar para o Khemed, um emirado árabe imaginário. O motivo inicial é o de esclarecer as razões de um golpe de Estado que ali aconteceu e na intenção de tentar libertar o emir, um seu velho conhecido. A história levará Tintin e o Capitão a bordo de um navio, o Ramona, onde descobrirão uma rede de tráfico de escravos em que está envolvido o malvado Roberto Rastapopoulos.

Comentário: Hergé começou uma de suas aventuras mais complicadas graças a um recorte de jornal e, até mesmo, embarcou com um colaborador num navio mercante para tirar fotos e fazer anotações. Coke en Stock tem sido criticado pelas suas estereotipias de africanos, tanto na aparência como no comportamento. Embora, obviamente, dotadas de bom coração, as personagens negras são retratadas como infantis e simplórias. No entanto, o álbum pretende fazer uma denúncia da escravatura que afecta os muçulmanos africanos em peregrinação a Meca.

 20. Tintin au Tibet

Começou a publicar-se na revista Tintin em 1958. Editada em álbum, em 1960, Hergé disse deste que é o seu favorito. A história foi escrita durante um período difícil de sua vida, quando ele estava a divorciar-se da primeira esposa e a iniciar um novo relacionamento sentimental.

Argumento: A história é diferente dos outros livros de Tintin, anteriores ou posteriores: não há inimigos e apenas integra um pequeno número de personagens. A história também é invulgarmente emotiva para Tintin: momentos de grande tensão emocional como a teimosa crença de Tintin na sobrevivência de Tchang depois de um acidente de avião nos Himalaias, a descoberta do urso de peluche na neve, o Capitão Haddock sacrificando-se para salvar Tintin, o regresso de Tharkey, o reencontro com Tchang e como o yeti perdeu o seu único amigo.

Comentário: É a mais espiritual e autobiográfica das obras de Hergé. Coincide com um momento de conflito interior do seu criador, como espécie de terapia psicanalítica nesses momentos. Tudo parece ser dominado pela cor branca de pureza em sintonia com a espiritualidade oriental. O álbum foi eleito como a melhor novela gráfica francesa de todos os tempos, num inquérito junto de profissionais, editores e críticos.

 21. Les Bijoux de la Castafiore

Pré-publicado na revista Tintin entre 4 de Julho de 1961 e 4 de Setembro de 1962, apareceu como álbum independente em 1963. É a mais “caseira” ou “doméstica” das histórias de Hergé. É contada com maestria como uma farsa.

Argumento: Esta aventura constitui um curioso divertimento que se demarca do habitual nos álbuns de Tintin: não há qualquer viagem nem acontecem grandes eventos ou mesmo actuam verdadeiros vilões. O protagonismo vai implicar uma mulher (Bianca Castafiore) aparecendo o restante como secundário em seu redor. A história é uma sucessão de erradas pistas e falsas aparições. Quando no fim é encontrada a esmeralda roubado tudo parece uma deliciosa desilusão: não houve maus nem conspirações.

Comentário: Parece o livro mais desconcertante da série. É uma autêntica anti-aventura protagonizada pelo mais aventureiro dos heróis de todos os tempo. Sem se sair de casa e depois de muitas vicissitudes, no final, nada acontece. Brilhante no argumento, amadurecida nos desenhos, divertida e animada como uma opereta, esta obra pode ser considerada como um clássico do século XX, que agrada mais aos adultos do que às crianças.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s