Hergé, Tintin e a Medicina – quinze

Recorda-se, sumariamente, o conteúdo abordado nesta série: uma tese de doutoramento em Medicina, concretizada em 2015 na Universidade Complutense de Madrid, cujo autor foi o dr. Guillermo Álvarez Calatayud, médico pediatra especialista em gastroenterologia e nutrição, que exerce no Hospital Universitário de Moncloa e no Hospital Materno Infantil Gregório Marañon, além de ser presidente da Sociedad Española de Probiótica y Prebiótica. Como orientador do trabalho da tese contou-se com o catedrático Prof. D. Andrés Bodas Pinedo.

O tema da investigação e tese final foi Hergé, Tintin e a Medicina.

Até agora, na presente abordagem foi dada particular ênfase à súmula bibliográfica dos álbuns de Hergé, seguida do estudo das três personagens principais, Tintin, Capitão Haddock e Milou, sempre respectivamente correlacionados com os episódios em causa. Para efeitos de uma melhor compreensão, aqueles álbuns foram distribuídos por três grupos, de acordo com o ano em que foram elaborados: álbuns a preto e branco (1929-1941), álbuns da “Idade de Ouro” (1942-1953) e álbuns do período final (1954-2004).

Finalmente, aludiu-se à galeria das personagens secundárias.

Para além do inegável interesse público das apreciações pessoais expendidas pelo autor do trabalho. deve anotar-se a subjectividade de algumas, que pessoalmente jamais subscreveria. Limitei-me à sua transcrição, traduzida do original em língua castelhana, sem nada omitir e sem emitir qualquer juízo de valor ou exprimir qualquer avaliação.

Segue-se a abordagem à componente essencial do trabalho do médico pediatra, precisamente a que contempla o seu domínio profissional de intervenção, portanto a Medicina vista através das aventuras de Tintin.

Uma vez que uma parte das próximas transcrições inclui quadros ou tabelas, tal material não é susceptível de  tradução, pelo que figura na sua forma original. Será útil entender minimamente o castelhano, pelo que se fornecem agora algumas pistas prévias.

Uma destas consiste na relação nominal dos álbuns e respectivas referências.

Outra nota significativa tem a ver com nomenclaturas individualizadas. De facto, alguns nomes de personagens são muitos distintos dos usados em língua portuguesa pelo que convém anotar as mais diferenciadas, evitando dúvidas ou escusadas confusões.

É o caso, entre outros de: Tornasol por Tournesol, Hernández e Fernández por Dupond e Dupont, ou Serafín Latón por Seraphin Lampion.

Pelo seu sentido e contexto serão descodificadas algumas putativas disparidades terminológicas, assim se espera…

Quanto aos termos científicos, relacionados com a Medicina propriamente dita, crê-se igualmente que não surgirão dificuldades insuperáveis.

Vai portanto prosseguir, com as devidas admiração e vénia, a transcrição parcelar da interessante obra de pesquisa assinada pelo dr. Guillermo Álvarez Calatayud, ilustre médico pediatra espanhol especialista em gastroenterologia e nutrição e apaixonado por banda desenhada, intitulada Hergé, Tintin e a Medicina.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s