Sermão de Santo António aos Corredores

 

Caros Irmãos Corredores

A vós me dirijo hoje, cansado como estou de pregar aos peixes que pela vossa cidade abundam e que já me não ouvem pacientes como noutros tempos, os da minha juventude, em que eram estes sítios uma famosa ilha. Também já falei aqui a pecadores e a pescadores, que não são exactamente a mesma gente, de má conduta uns tal como de boa postura são os outros.

Falo-vos hoje, caros Irmãos corredores, e muito vêm a propósito estas palavras sobretudo agora que vos soube em amena reunião dita de convívio e amizade, como convém aos de mente sã em corpo são. Mas confesso-vos que alvoroçado estou pelo público retrato que dela ficou da autoria de um de vós mesmos.

Deus ex machina, assim falaram os antigos gregos a propósito dos efeitos teatrais em que uma solução cénica inesperada fazia terminar a função de forma mirabolante. Deus ex machina, assim vos falo eu da tal prova que ficou da vossa dita confraternização, quando um artefacto parece  fazer improvável e dominadora aparição naquilo a que chamais -a declaração é vossa!- um encontro de amizade e convívio. Quando a natural relação humana é assim dominada pela machina algo me parece errado e descabido. Bem sei, porque também os conheço, que alguns críticos e corajosos protestos os mais prudentes de entre vós logo deixaram expressos. Mas debilmente outros emitiram a opinião e desculpa de que, apesar de tudo, valeu a humana relação, sobrepondo-se à machina.

Acautelai-vos, a tal vos exorto, acerca do papel e do valor dessa machina, ponderando se é ela vossa fiel servidora ou se dela sois meros escravos. Em mim, porque não fui testemunha, resta uma preocupante dúvida sobre o vosso sincero comportamento a tal propósito.

A machina, tal como uma arma mortal, é apenas um instrumento que pode ser colocado tanto ao melhor dos serviços como à pior das tramas. À mão do homem que a comanda pertence o seu destino, orientando num ou noutro sentido a sua oposta e contraditória vocação.

E aquilo que vou  em sociedade observando sobre a machina assusta-me e  o espectáculo  que  o vosso recente convívio me proporcionou constatar mergulha-me numa confusão de sentimentos. Sois inteligentes e por isso a prudência manda que façais uma paragem para necessária e útil reflexão. Antes que a machina vos domine devereis dominá-la.

Pensai e reflecti, caros Irmãos, na pertinente inquietação que aqui e agora vos deixo.

Vou voltar aos peixes.

Irmão António de Lisboa

Hergé, Tintin e a Medicina – dezoito

Acidentes envolvendo personagens

Como vimos anteriormente, além das muitas situações que causaram perda de consciência, as personagens das aventuras de Tintin estão expostas a todos os tipos de acidentes que podem mesmo pôr em perigo as suas vidas. No gráfico seguinte indica-se o tipo de acidentes sofridos por estes intervenientes na banda desenhada.

No quadro 15 mostram-se as queimaduras de acordo com o momento em que a história se desenvolveu. Como já se observou, não há variações e verifica-se sempre que se trata de um recurso “acidental” comum.

No quadro 16 indica-se a causa da queimadura. Os utensílios do tabaco prevalecem sobre outros motivos. Os restantes quadros mostram causas de acidentes devidos a lesões eléctricas (quadro 17), ferimentos (quadro 18), explosões (quadro 19), intoxicações, excluindo-se as produzidos por clorofórmio (quadro 20) e as causadas por mordeduras e picadas de animais (quadro 21). Devido à extensa lista de razões causais, excluíram-se os acidentes com veículos de transporte e as produzidas por ataques de animais selvagens.

Situações ambientais extremas

Sobreviver por um longo período de tempo em condições ambientais extremas não é apenas um complexo desafio físico, mas também uma causa segura de exaustão emocional e psicológico. Os nossos heróis, além de terem sido salvos de atentados, pelotões de fuzilamento, sacrifícios, etc., sofreram as piores condições ambientais possíveis e sempre destas saíram airosamente. No quadro 22 correlaciona-se o nosso protagonista mais as outras personagens com estes ambientes insalubres.

Sporting Clube de Portugal – a “crise” de 2016/17

Para alguns sportinguistas e para certos adversários do nosso clube esta época foi mais um desastre desportivo. Uma certa forma de intencional miopia reduz a visão das coisas ao futebol de primeira, como se isso fosse tudo  e o resto nada…
Mas, bem vista a realidade, sem exageros descabidos ou falsas modéstias, não é bem assim. Pelo contrário, o balanço da época desportiva do Sporting Clube de Portugal é notável, confirmando o eclectismo, marca que sempre tem distinguido os leões.
A relação das vitórias do SCP em 2016/17 é de tal modo impressionante que não encontra paralelo em qualquer outro clube nacional, talvez mesmo pedindo meças ao melhor alcançado em toda a Europa e no Mundo.
Aqui fica a crónica da “crise” actual:

  • FUTEBOL 
    Campeonato Nacional de Juniores
     Campeonato Nacional de Juvenis
     Campeonato Distrital de Infantis
     Campeonato Distrital de Benjamins
     Campeonato Nacional de Seniores Femininos
     Campeonato Nacional de Juniores Femininos
     Campeonato Distrital de juvenis femininos
     Taça de Portugal de Seniores Femininos
     Taça Nacional Juniores Femininos
     Taça Nacional Juvenis Femininos
  • FUTSAL
     Campeonato Nacional
     Taça da Liga
     Taça de Honra AFL
     Taça de Honra ALF Sub20
     Campeonato Nacional de Juvenis
     Campeonato Distrital de Infantis
     Campeonato Distrital de Benjamins
     Campeonato Nacional Juvenis Femininos
     Campeonato Distrital de Juvenis Femininos
  • ANDEBOL
     Taça Challenge
     Campeonato Nacional de Seniores
     Campeonato Nacional de Juvenis
  • TÉNIS DE MESA
     Campeonato Nacional
    Taça de Portugal
     Campeonato Nacional de Iniciados
  • RÂGUEBI
     Campeonato Nacional de Sevens Femininos
     Taça de Portugal de Sevens Femininos
  • ATLETISMO
     Campeonato Nacional de Pista Coberta Masculinos
     Campeonato Nacional de Cross Masculinos
     Campeonato Nacional de Pista Coberta Femininos
     Campeonato Nacional de Cross Femininos
     Campeonatos Nacionais de Crosse Curto Femininos
     Campeonato Nacional de Estrada Femininos
     Campeonatos Nacionais de Crosse Juniores Femininos
  • NATAÇÃO
     Campeonatos Nacionais de Clubes Seniores Masculinos
  • POLO AQUÁTICO
     Campeonato Regional Seniores Masculinos
  • KICKBOXING
     Campeonato do Mundo
  • REMO
     Campeonato Nacional de Fundo em Double Scull
  • TIRO COM ARCO
     Campeonato Nacional Arco Recurvo Equipa Mista
     Campeonato Nacional Arco Compound Equipa Mista
     Campeonato Nacional Arco Recurvo Equipa Mista Juniores
     Campeonato Nacional Arco Recurvo Veteranos Masculinos por Equipas
  • POOL
     Supertaça de Portugal
     Supertaça de Pool Português
  • TRIATLO
     Campeonato Nacional de Seniores
     Campeonato Nacional de Veteranos 1
  • CANOAGEM
     Taça de Portugal de K2 5.000 m Seniores
     Campeonato Nacional de Fundo K1 Sub-23
  • GINÁSTICA
  • TRAMPOLIM
    Campeonato Nacional Masculinos por Equipas
     Campeonato Nacional Femininos por Equipas Iniciados
     Taça de Portugal trampolim absoluto Feminino
  • MINI-TRAMPOLIM
     Campeonato Nacional Masculinos por Equipas
     Campeonato Nacional Femininos por Equipas Iniciados
  • TEAM GYM
     Campeonato Nacional de Juniores Masculinos
  • TIRO À BALA
     Campeonato Nacional por Equipas Pistola Livre Homens
  • JUDO
     Campeonato Nacional
  • CICLISMO
     Grande Prémio do Dão
  • GOALBALL
     Campeonato Nacional de Seniores
     Taça de Portuga
     Supertaça
     Liga Europeia