António Dias de Deus (1936-2018)

Foi por informação de um amigo comum nesta coisa dos quadradinhos, Geraldes Lino, que tive há dias notícia da recente morte de António Dias de Deus.

Em boa verdade o facto nem sequer constituiu uma surpresa, dado saber-se que há muito o amigo agora desaparecido lutava pela sobrevivência, progressivamente tomado por implacável doença que vai extinguindo a memória e a própria vida.

António Emanuel Comprido Dias de Deus, médico pediatra, era alentejano de Vila Fernando, onde nasceu em 1936. Entre nós, notabilizou-se publicamente sobretudo pelo seu entranhado amor aos quadradinhos, que estudava e conhecia como muito poucos.

Ele era o mais esclarecido crítico e um notável historiador do fascinante universo da BD, sobretudo na sua componente nacional.

Conheci-o pelo início dos anos 80 do passado século, no seio das actividades do Clube Português de Banda Desenhada, que ele ajudara a fundar. Encontrávamo-nos nos saudosos festivais, nomeadamente nos realizados na antiga FIL, à Junqueira. Fora isso, sempre que ele se deslocava à sua terra, procurava-me em Portalegre e tivemos assim repetidas ocasiões para prolongadas trocas de opinião e de conceitos onde muito aprendi.

Para além das obras publicadas, da sua autoria, ofereceu-me uma preciosa colectânea de escritos pessoais, na maioria inéditos, laboriosamente organizados sob a forma de sete primorosos cadernos artesanais.

Da sua obra mais significativa, Os Comics em Portugal – uma história da banda desenhada (Cadernos da Bedeteca, 1997, edição revista e actualizada por Leonardo De Sá), guardo um precioso original, bem mais desenvolvido e ilustrado, com autógrafo do autor.

Os seus artigos, centenas, constantes de suplementos especializados da nossa imprensa diária e semanal, constituem hoje e para o futuro uma inestimável herança.

Frontal, a sua pena era justa e dura, pelas exigência e coerência que pautavam os critérios pelos quais se orientava. Irónica e subtil, imbuída de um sentido pedagógico de onde não estava arredada a poesia, a escrita de António Dias de Deus era original e não encontra paralelo entre nós.

Curvo-me perante a grata memória de um amigo certo, a quem a causa nacional das histórias aos quadradinhos muito fica devendo.

António Martinó de Azevedo Coutinho

National Geographic Exodus Aveiro Fest

O National Geographic Exodus Aveiro Fest é um Festival Internacional de Fotografia e Vídeo de Viagem e Aventura com uma missão ambiciosa – abrir as portas do mundo, juntando os melhores profissionais destas áreas para falarem das suas vidas, partilharem os seus projectos e inspirar. Abrir a alma à magia da descoberta e da exploração é também abrir o coração a novas culturas e novos ambientes, aproximando a relação entre o Homem e a Natureza.

Este é o festival que inspira as pessoas a ir, a sonhar e a ser livres. Livres de dúvidas, de medos, de preconceitos, livres de barreiras étnicas e culturais. É um hino para a humanidade e uma homenagem ao nosso planeta. É o sítio onde tornamos o mundo acessível a todos, ao partilhar os melhores trabalhos de fotografia e vídeo sobre estas temáticas.

Estamos a falar de fotógrafos e videógrafos conhecidos internacionalmente, que trabalham regularmente com grandes marcas como National Geographic, Time Magazine, Esquire, Red Bull, DJI e muitas mais.

Teremos apresentações de projectos, portfólios e histórias pessoais vividas por grandes talentos e influentes fotógrafos e videógrafos; poderosas masterclasses para aqueles que procuram a oportunidade de evoluir e aperfeiçoar as suas habilidades de criação visual; e mostras de fotografia, com galerias de cortar a respiração que vão inspirar os espectadores a descobrir mais além.

A palavra “Exodus” pode ser definida como pessoas em movimento. Junta-te ao National Geographic Exodus Aveiro Fest e faz parte deste movimento global de criatividade.

Para esta segunda edição está preparado um painel principal com 10 oradores, bastante diversificado do ponto de vista etário, mas também nas áreas da fotografia e do vídeo. Nos dias 1 e 2 de Dezembro, no Centro de Congressos de Aveiro, nas Speakings Sessions vão subir ao palco Benjamin Von Wong, Celine Cousteau, Eduardo Leal, Jennifer Adler, Jody MacDonald, Keith Ladzinski, Matthieu Paley, Rob Whitworth, Timothy Allen e William Albert Allard.

O nosso objectivo é inovar e ir mais além o tanto quanto nos for possível. É assim que surge uma nova temática no festival, “Viajar com crianças, novas abordagens à educação dos mais novos”. Aqui teremos dois convidados muito especiais, Mike Libecki e Lilliana Libecki, pai e filha, que vão partilhar palco e contar na primeira pessoa como treinar os filhos para embarcarem em grandes aventuras, mas também provar que podemos explorar o mundo sozinhos, com amigos, mas também em família.

Retribuir e homenagear a entrega e o trabalho dedicado a causas e à inspiração da descoberta faz parte da entidade do National Geographic Exodus Aveiro Fest. Desta forma, através da Personalidade do Ano Exodus, prestaremos homenagem a grandes personalidades do mundo da fotografia e do vídeo, mas também a activistas e defensores de causas humanitárias e ambientais. Este ano, teremos uma das personalidades mais conhecidas desta área, o grande cineasta Yann Arthus-Bertrand!

A vontade de ir mais além juntou-nos a um dos nossos parceiros, a Nomad, e a criar um prémio de vídeo, o Prémio de Vídeo Exodus. Este prémio, no valor de 5.000€, é promovido pela Nomad e pelo National Geographic Exodus Aveiro Fest, sendo entregue à melhor candidatura para a produção de um vídeo que transmita uma mensagem relevante num dos seguintes temas: viagem aventura, conservação ambiental ou causas humanitárias.

O vencedor será anunciado durante o festival National Geographic Exodus Aveiro Fest.

 De 1 de Dezembro às 09:00 até 2 de Dezembro às 21:00
Centro Cultural e de Congressos de Aveiro
Cais da Fonte Nova, 3810-200 Aveiro