Simplesmente o melhor de sempre!

Aí está o homem da Champions. CR7 bisa na goleada merengue
e chega aos 107 golos na prova

 Cristiano Ronaldo voltou à competição pelo Real Madrid, fazendo o que mais sabe: golos. O internacional português bisou na vitória por 3-0 dos merengues em casa diante do APOEL Nicósia, em jogo da primeira ronda do Grupo H da Champions.

Depois dos cinco jogos do castigo que lhe foi aplicado pela justiça desportiva espanhola (falta cumprir um), Ronaldo só poderia jogar na Selecção e na Champions. Ajudou Portugal com golos e assistências nas duas vitórias da Selecção ante a Hungria e as Ilhas Faroé na caminhada rumo ao Mundial 2018 e na noite passada voltou a ser decisivo pelo Real Madrid.

Aos 12 minutos, CR7 aproveitou um centro de Bale na esquerda e encostou para o 1-0, marcando assim pela sexta época seguida na primeira ronda da Champions.

Num jogo onde só deu Real Madrid, os campeões europeus e espanhóis fizeram o 2-0 aos 51 minutos, outra vez por Cristiano Ronaldo, na transformação de uma grande penalidade. Era o golo 107 na Liga dos Campeões, quando ele procura ser o melhor marcador da prova pela sexta vez.

Sérgio Ramos, sempre ele, também marcou, fazendo o 3-0 aos 61 minutos, num pontapé de bicicleta, após passe de Bale.

Na formação do APOEL, o português Nuno Morais foi titular.

Bicampeões europeus, os merengues procuram o terceiro título consecutivo na Liga dos Campeões.

No outro jogo do grupo, o Tottenham recebeu e venceu o Borussia Dortmund por 3-1, com golos de Heung-Min Son e um bis de Harry Kane. Andriy Yarmolenko (um golaço) fez o tento dos alemães.

SAPO DESPORTO

Anos XXX e XL – 14

Castelo de Vide ocupa cerca de três quartos da página seguinte, deixando o restante para Monforte. A equivalência limita-se às duplas de retratos, os respectivos presidente e secretário dos municípios.

A designação de Sintra do Alentejo “adorna” a vila turística por excelência, enquanto Monforte cita a valorização da herança histórica.

Entre as aspirações desta vila conta-se a construção de um bairro de casas para pobres, ao estilo sócio-assistencial da época, sendo mais difícil entender como Castelo de Vide sonha com uma pousada no sítio da Portagem e com a abertura da fronteira de Galegos, o que fará supor uma divisão administrativa que reduziria Marvão ao seu penedo, Santo António das Areias, Beirã e pouco mais…

De registar uma curiosa troca de legendas em gravuras de Monforte, realçando-se as de edifícios na freguesia rural de Póvoa e Meadas compondo o texto de Castelo de Vide, onde as termas são ignoradas.