Efeitos do Alzheimer

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse ontem que “a Europa vai de Vigo a Varna, de Espanha à Bulgária“. Juncker fazia o anual discurso do Estado da União, no Parlamento Europeu, e não referiu o país mais ocidental da União, Portugal, numa intervenção lida.
Ora porra, senhor Juncker, nós já não contamos!?
Não vá depressa ao médico, não!…

Nova carta aberta ao incorrigível Francisco Geraldes

 Caro Chico Geraldes

Servindo de intermediário, publiquei aqui há uns meses a carta aberta que um tipo avisado e inteligente te quis fazer chegar. Agora sou eu, em pessoa, que te quero abrir os olhos.

Acabaste de ter de sair do Sporting, emprestado ao Rio Ave, por causa da tua inclinação para as literaturas. Os grandes clubes não gostam de jogadores que pensem em mais do que seja dar pontapés ou cabeçadas na bola.

Mas não apreendeste a lição. Mal chegaste a Vila do Conde, em vez de estudar as tácticas locais, deu-te logo para ires ter com José Régio. Foste logo apanhado com o livro Sonho duma Véspera de Exame na mão. Não tens mesmo juízo nem conserto!

Bem sei que é verdade teres aí aprendido qualquer coisa, o suficiente para ajudares a transformar o sonho dos teus adversários benfiquistas no pesadelo duma véspera de tabela classificativa. Eu sei. Mas não te fies na sorte.

Régio não escreveu Confissão de um Homem Futebolista, Poemas do Árbitro e do Fiscal-de-linha, As Encruzilhadas do Treinador, Jogo do Offside ou Davam Grandes Passeios aos Estádios, nem sequer Os Avisos do Vídeo-Árbitro. Se alguém te garantir isso não acredites porque será gente perversa que te quer ver no Atlético de Rio de Moinhos, no Académico de Ribafria ou no Sport Lisboa e Alguidares de Baixo.

Olha, caro Chico Geraldes, deixa-te mas é de literatices e agarra-te ao esférico. Se fizeres isso, voltas ao Sporting em beleza e tens futuro assegurado, porque jeito não te falta.

José Régio, posso garantir-to, não vai ficar chateado. Já agora, fica sabendo que ele também escreveu sobre futebol, em 1951, no Capas Negras, um jornalzinho escolar do liceu de Portalegre onde dava aulas como professor de Português e de Francês, dando pelo nome de Dr. Reis Pereira.

Aqui te mando um recorte desse artigo e espero que, lendo-o, fiques curado de vez.

Um abraço amigo do

António