1.º Grande Prémio Peniche a Correr

Correr em Peniche é correr no mar…
Rodeada de mar por todos os lados, à excepção de uma pequena parcela de terra, a cidade de Peniche invade o oceano criando-nos a ilusão de estarmos numa ilha.
Correr em Peniche é de facto correr no mar. A brisa, predominante de Norte, traz-nos o salgado aroma marinho… o maravilhoso aroma das algas… o aroma das nossas origens. O aroma da nossa identidade.
Correr em Peniche é uma experiência única… para vir e repetir!!!

Limitei-me a transcrever o inspirado texto através do qual os criativos do grupo Peniche a Correr apresentaram a prova ontem mesmo concretizada, em estreia.

Nada mais exacto. Já corri alguns percursos penichenses e nenhum, como este, cumpre a estimulante vocação de “postal ilustrado”… Corre-se mesmo com o mar presente, pelo Norte como pelo Sul, por todos os lados. E também por ruas nunca antes percorridas…

Se os responsáveis do grupo e desta iniciativa mereciam um prémio, tiveram-no e em absoluto. A começar pela meteorologia, talvez a maior (ou única!) ameaça ao seu triunfo. Os gestores do chuva, do frio e do vento, aqui tão “generosos” nesta altura do ano, colaboraram exemplarmente, contendo-se.

O Grande Prémio Peniche a Correr oferece todas as garantias para se tornar a versão diurna anual da clássica Corrida das Fogueiras. Se esta disponibiliza um invulgar e quase exótico ambiente nocturno, aquele revela exuberantemente o panorama que Peniche tem de melhor, como parcela de terra enfiada pelo mar adentro. Aliás, o aval concedido pelo “plebiscito” da população local confirma-o, assim como o testemunho de tantos e tantos participantes alheios à comunidade.

Tudo correu bem, não apenas os participantes.

A invulgaridade das gentes do Peniche a Correr ficou confirmada. Para tanto  bastou ver, com rara emoção, o que foi a chegada à meta da última concorrente que conseguiu fazê-lo, numa notável proeza pessoal. A autêntica guarda de honra espontaneamente organizada em seu redor constituiu a prova de que a máxima do grupo –A Amizade é a Maior Vitória– é assumida de forma incontornável.  

Os últimos são mesmo os primeiros!

Em termos pessoais nada posso acrescentar ao que mil vezes já repeti.

Ao animado locutor de serviço não pude emendar o seu involuntário lapso de me apresentar como albicastrense. Com todo o respeito pela florescente capital da Beira Baixa, mantenho todo o orgulho como filho da modesta e saudosa capital do Norte Alentejano, Portalegre.  Pude, no entanto, confirmar-lhe publicamente que devo tudo o que faço na corrida aos meus amigos de Peniche. Quando se tem gente assim a ensinar-nos, a proteger-nos, a acarinhar-nos, a acompanhar-nos, tudo se torna possível.

E, com os sinceros parabéns aos que tornaram este 1.º Grande Prémio Peniche a Correr um êxito total, aqui fica o incentivo para o seu contributo sempre virado ao futuro que esta terra bem merece.

António Martinó de Azevedo Coutinho

amanhã talvez faça sol nas alturas porque cá por baixo não faltará

O percurso da prova vai levar o atletismo “a ruas nunca percorridas” da cidade de Peniche e terá início às 10h30 na Rua Alexandre Herculano, seguindo para a Avenida 25 de Abril, Avenida Mariano Calado, Rua General Humberto Delgado, Avenida Arquitecto Paulino Montez, Rua Cruz das Almas, Estrada dos Remédios, Estrada Marginal Norte, Rua do Farol, Estrada Marginal Sul, Rua de São Marcos, Campo da República, Avenida do Mar e Rua 13 de Infantaria, terminando na Praça Jacob Rodrigues Pereira. Durante o percurso, o trânsito estará cortado ou condicionado nas já referidas artérias da cidade.