Opereta Alentejana

Aqui há dias um amigo partilhou comigo esta “opereta alentejana”. Achei-lhe piada e decidi aqui reproduzi-la uma vez que o Youtube permite essa fácil colocação.

Mas, como sempre costumo fazer, tentei saber mais alguma coisa com interesse a tal propósito, até porque me lembrava, vagamente, de algo sobre esta designação. Pesquisei até onde fui capaz e nada achei. A única semelhança era apenas nominal, nada tendo a ver com esta “opereta”. De qualquer forma, por ser interessante, dou aqui conta disso. Encontrei com efeito um ensaio de opereta, composta por  dois quadros em prosa, cuja heroína se chama Adosinda, ao invés da Celina da presente proposta. Nada feito, portanto!

Eis a “opereta alentejana”, cantada por muita gente conhecida e que se inicia com Jorge Palma tocando ao piano a Ária para a 4.ª Corda, de Bach, melodiosa e repousante. Ou não fosse uma alusão alentejana…

Um gajo no pátio – Portalegre

Ora viva! Então é assim: Marcar sem falhas na agenda esta data e este nome: Quinta feira 15 de Junho pelas 22h00 toca O GAJO e a sua campaniça, em Portalegre aqui no Pátio! Claro!

Vagas de final de tarde povoam o universo d’O GAJO e nos contam histórias da cidade oculta. “5300 noites” passadas no “Miradouro da Batucada” onde “ A Carteirista” aguarda paciente ao som do “Cego e a Guitarra”. Assim navega o “Navio de Loucos”.

Esta viola campaniça enche-nos como a maré e inunda-nos com sentimentos de naufrágio. Mas quantas almas tem O GAJO?

A ver vamos na próxima quinta feira à noite. Entrada livre, como sempre! Vai ser mesmo bom receber este grande artista aqui no Pátio em Portalegre. Apareçam!