Recados americanos

Consulto com regularidade as exaustivas estatísticas que a WordPress coloca à minha disposição, como uma espécie de barómetro indicativo.

Embora não consiga retirar daí conclusões “científicas”, sempre posso ir avaliando alguns dados. Por exemplo, leio o número de visualizações e de leitores, quer no momento, quer em acumulação, assim como a sua origem geográfica.

Sei que a quantidade diária de frequentadores do blog, provavelmente muitos por mero acaso de errática navegação, tem vindo a aumentar. Hoje vêm à página, em média, quatro vezes mais leitores do que nos dois primeiros anos de existência.

São 137 os seus países de origem e este é um dado curioso. De início, e talvez durante uns quatro anos, a percentagem de leitores de Portugal estabilizou mais ou menos nos 75%, por outras palavras, três quartos dos frequentadores habituais do Largo dos Correios residiam no nosso país. Dos outros, a maior parte vinha do Brasil e alguns outros de Moçambique e Angola, ainda que em muito menor número. As restantes origens eram países da Europa, com França, Inglaterra, Espanha e Alemanha em lógica maioria, mais um forte contingente dos Estados Unidos da América.

Nestes dois últimos anos, a posição relativa foi estabilizando e cada vez mais se destacaram Portugal, o Brasil e os Estados Unidos, acontecendo que estes dois países foram progressivamente conquistando uma crescente posição.

Por outras palavras, Portugal desceu até aos 68%, enquanto os seus dois parceiros garantiram, cada um, mais de 10%. Deste “pódio” todos os outros países foram ficando mais distantes…

O Brasil esteve sempre na frente do “pelotão perseguidor”, embora eu tenha começado a constatar desde há uns seis meses a lenta, mas segura, aproximação dos Estados Unidos da América. Dia a dia, esse fenómeno acentuou-se com alguma surpresa da minha parte. Confesso que comecei a consultar com maior frequência a evolução desta “corrida”. E aconteceu mesmo a inevitável “ultrapassagem”.

Aqui fica documentado tal episódio, concretizado com o Menino Jesus, em pleno dia de Natal de 2017. Não contente com a “ultrapassagem” os norte-americanos têm vindo a acelerar e já deixaram os brasileiros a cada vez mais larga distância…

Como posso interpretar o acontecido!?

Tenho no Brasil muito mais amigos e conhecidos que nos Estados Unidos. Aqui, posso resumir este lote aos familiares por afinidade, acrescentados por lado da Teresa, minha nora, enquanto em terras de Vera Cruz contabilizo nesta relação de afectos amigos de Natal, Martins, Pau dos Ferros, Moçoró, São Paulo e, sobretudo, Portalegre RN.  

Há nos Estados Unidos, como no Canadá, um fortíssimo contingente de penichenses, de duas ou três gerações provenientes da emigração. Estará aí a explicação?

De qualquer das formas, seja qual for a razão desta troca de posições relativas, o que mais importa é saudar todos aqueles que, tanto no Brasil como nos Estados Unidos da América (e no resto do Mundo!), manifestam no quotidiano a sua generosa e amiga solidariedade vindo ter comigo neste ponto de encontro que é o Largo dos Correios de origem lagóia com ressonâncias do Oeste penicheiro.

Depois deste recado recebido das Américas, do Norte ao Sul, cabe-me enviar um outro que talvez possa um dia encontrar algum eco.

Que é feito dos meus primos brasileiros, cariocas, que até agora nunca conheci?

Aqui renovo o apelo que de vez em quando lanço. Do meu tio-avô Alberto Pinto Martinó apenas tenho o testemunho que junto. Da Rua Coronel Pedro Alves, n.º 52, no Rio de Janeiro, em 1 de Julho de 1913 (vão mais de cem anos!), chegou-me esta fotografia e a sua mensagem, com a mulher Maria da Graça e as filhas Iracy, Durvalina, Aida e Hilda. Onde estão os seus descendentes, ainda que logicamente tenham perdido o apelido Martinó?

Partilhamos no entanto o mesmo sangue. Será que a força das redes sociais, bem entendidas e melhor aplicadas, podem aproximar-nos!?

Aqui ficam um recado das Américas e um recado para a América.

Um Bom Ano de 2018.

Largo dos Correios

Passagem do Ano em Portalegre RN

MENSAGEM DE NATAL E ANO NOVO DO GESTOR MUNICIPAL

Neste fim de ano, quero desejar a toda população os meus sinceros votos de paz, esperança e comunhão junto a familiares e amigos, para que o fim de 2017 seja inesquecível e prenúncio de um óptimo ano que se inicia. Natal é tempo de fé, de renovação, paz e esperança. É nesse período que todos devem renovar as suas esperanças em um mundo melhor, uma realidade e vida melhores. É tempo de perdão, reconciliação e mais importante de união, somente unidos conseguiremos deixar PORTALEGRE a cidade dos nossos sonhos.

Com esse espírito de fé e renovação, a Prefeitura Municipal de Portalegre se une a todos os Portalegrenses e àqueles que amam a nossa terra na certeza de que iniciaremos o ano de 2018 renovados e com os melhores sentimentos tomando de conta dos nossos corações. Avançámos muito durante este ano, e temos a certeza de que com trabalho, fé, e muita dedicação faremos de 2018 um ano ímpar para todos.

Um Natal de amor e um Ano Novo repleto de fé e das graças de Deus.

 São os Votos de Manoel de Freitas Neto, Prefeito de Portalegre

Boas novas da Portalegre do Brasil

Estar entre as oito melhores num universo de 167
é uma proeza que merece destaque.
A Prefeitura de Portalegre RN, a cidade brasileira gémea da nossa Portalegre alentejana, conseguiu esse triunfo que justifica o júbilo de todos os seus amigos.

A notícia, sumária, aqui fica como pedagógico exemplo.
Para o prefeito Manoel Neto, um amigo pessoal e de muitos portalegrenses portugueses, daqui vai um sincero abraço de parabéns pelo feito da equipa municipal que dirige, extensivo a todos os concidadãos portalegrenses brasileiros. Esta distinção, para além do reconhecimento oficial do trabalho realizado, constituirá certamente um estímulo para o futuro.

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte aponta PORTALEGRE entre os oito municípios com gestão efectiva.

Dos 167 municípios do Rio Grande do Norte, apenas 8 municípios conquistaram o índice que significa a existência de uma gestão efectiva.

O Prefeito Manoel de Freitas Neto compartilha com todos os servidores da Prefeitura e os portalegrenses em geral o excelente resultado conquistado no ÍNDICE DE EFECTIVIDADE DA GESTÃO MUNICIPAL de 2016,  indicador elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e divulgado esta semana.

O Tribunal de Contas do Estado apresentou na sexta-feira, 15 de Dezembro, os resultados relativos a 2016 do Índice de Efectividade de Gestão Municipal, que mede a correspondência entre as acções dos governos e as exigências da sociedade. Os índices dos municípios potiguares pioraram em relação ao ano anterior e estão abaixo da média nacional.

O IEGM 2016 foi apresentado durante um evento realizado no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – secção Rio Grande do Norte. Estiveram presentes o presidente do TCE, conselheiro Gilberto Jales, o director da Escola de Contas, Severino Lopes de Oliveira, o conselheiro Paulo Roberto Chaves Alves, o presidente da OAB/RN, Paulo Coutinho, o presidente da Federação dos Municípios do RN, Benes Leocádio, entre outras autoridades.

De acordo com os dados apresentados pelo presidente do TCE, conselheiro Gilberto Jales, a média dos municípios do RN recuou de 0,51 para 0,49, numa escala de 0 a 1. O IEGM mede resultados em 7 áreas: Educação, Saúde, Gestão Fiscal, Meio Ambiente, Governança em tecnologia da Informação, Cidades Protegidas e Planeamento. Houve, em média, melhora em 3 itens: Meio Ambiente, Tecnologia da Informação e Cidades Protegidas. No restante, os índices caíram. “Os números não são animadores, mas são desafiadores. O índice é importante para medir a efectividade das políticas porque, por vezes, o município está até cumprindo o seu papel de investir na política pública, mas isso não chega na ponta, no serviço ao cidadão, que é o mais importante”, apontou o presidente Gilberto Jales.

No total, apenas 8 municípios conquistaram o índice “B”, que significa a existência de uma gestão efectiva. Foram eles: Riacho da Cruz, Bodó, Macaíba, Lucrécia, Martins, Portalegre, Rio do Fogo e Taboleiro Grande. O número é inferior ao do ano passado, quando 15 municípios conquistaram este índice. Além disso, 80 municípios conquistaram o índice “C+”, que aponta uma gestão “em fase de adequação“, e 87 ficaram com o índice “C”, o mais baixo, que significa “baixo índice de adequação“. Nenhum município potiguar conquistou o índice “A”. O Rio Grande do Norte também ficou levemente abaixo da média nacional – que foi de 0,53 contra 0,49 dos municípios do Estado.

Entre os objectivos do IEGM estão a disponibilização de uma ferramenta para que prefeitos e vereadores possam avaliar a execução das políticas públicas; o estímulo ao controlo social, com o incremento da participação da população a partir da publicidade dos índices; e a modernização do processo de controlo externo. “O Tribunal de Contas sai da sua alçada tradicional, de julgamento e fiscalização, para participar da construção da cidadania”, enfatizou o conselheiro Paulo Roberto Chaves Alves.

Portalegre do Brasil reconhece a sua História

Da Portalegre brasileira do Rio Grande do Norte chegam quase todos os dias boas novas. É um pouco ao contrário das que ecoam da Portalegre norte-alentejana…

Uma das mais recentes diz-nos que a Escola Municipal Filomena Sampaio em parceria com a Casa de Câmara e Cadeia realizou a abertura da terceira exposição nessa mesma Casa de Câmara e Cadeia da Vila de Portalegre, tornada um dinâmico centro cultural após a sua oportuna e magnífica recuperação.

Alunos do 6º ao 9º ano e EJA, professores e gestores daquela escola realizaram a culminância do projecto intitulado: Portalegre, conhecendo nossa história.

A exposição permanecerá 3 meses nas dependências do museu, biblioteca e pinacoteca da Casa de Câmara e Cadeia. Foram abordados: fotografias dos pontos turísticos antes/depois, comidas típicas, pratos produzidos pelos restaurantes da cidade, maquetas de pontos turísticos, fachadas históricas, apresentação dos produtos locais portalegrenses, documentário sobre os estabelecimentos turísticos de alguns proprietários, aspectos históricos, geográficos, turísticos, culturais e sociais de Portalegre, a noite portalegrense e resgaste histórico do turismo serrano.

Ceio que o dinamismo dos agrupamentos de escolas sitos na nossa Portalegre portuguesa seria capaz de concretizar semelhante projecto, desde que aí surgisse alguma equipa interdisciplinar virada para tal iniciativa. Este é o problema que radica nas diferentes mentalidades: a nova que agita o Brasil, a antiga que domina entre nós…

Porém, aquilo que neste pretexto pessoalmente mais me preocupa é o silêncio de pesada indiferença que permanece nas cúpulas. Tanto a Prefeitura de Portalegre RN como a Câmara Municipal de Portalegre continuam a ignorar o Protocolo de Geminação que solenemente assinaram. Se o assumissem, nele encontrariam as motivações bastantes para que um excelente pretexto como o do conhecimento da História (sobretudo da História comum) pudesse unir mais ambas as cidades, na recíproca apresentação e troca de informações alusivas e na exploração das razões e argumentos que nos irmanam.

A simples título de curiosidade, recordo a Base Quarta do documento:

  • Base Quarta – Relações Educativas. A Geminação entre as Cidades de Portalegre NA (Portugal) e de Portalegre RN (Brasil) fomentará e dinamizará todas as formas de intercâmbio entre as populações escolares do Norte Alentejano e do Rio Grande do Norte, atendendo às especificidades curriculares dos diversos graus de ensino: básico, secundário e superior (universitário ou politécnico):
    –     Incremento das trocas epistolares entre estabelecimentos de ensino portugueses e brasileiros, aproveitando nomeadamente os recursos do e-mail;
    –          Estabelecimento de contactos entre Centros de Recursos pedagógicos e  consulta recíprocas das respectivas páginas na Web;
    –          Organização de concursos e de torneios escolares com utilização da Internet.

Aqui fica o “recado”, especialmente dirigido a dois bons e dinâmicos amigos, com especial influência neste campo, de um e de outro lado do mar que nos une, o Afrânio Lucena do lado de lá e o Luís Pargana desta banda…

Chegará algum dia a sonhada oportunidade do início e estreitamento de fraternas e efectivas relações regulares entre as comunidades, escolares e não só, de ambas as Portalegre’s?

António Martinó de Azevedo Coutinho

Festas de Nossa Senhora da Conceição em Portalegre RN

A abertura das tradicionais festas contou com uma procissão, que saiu da praça do Caju em direcção à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, no centro da cidade de Portalegre RN.

 O Prefeito Manoel de Freitas Neto participou na terça-feira, 28 de Novembro, da abertura da festa da Padroeira 2017. Este ano a festa tem como tema: “Alegra-te Cheia de Graça, o Senhor está contigo” (Lc, 1,28). O gestor municipal fez o hasteamento da bandeira do município, juntamente com os padres Dario Torboli e Robério Holanda, e em seguida aconteceu a missa de abertura.

Umas das motivações da festa da Padroeira 2017 em Portalegre RN é a celebração dos 256 anos da Fundação do Município e dos 253 anos da Paróquia. Naquele júbilo festivo, o Prefeito Manoel de Freitas convidou todos os portalegrenses a participarem das festividades religiosas que se iniciaram no dia 28 de Novembro e irão até 8 de Dezembro, encerrando a festa de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

Lembra-nos a historiadora Fátima Martins Lopes, doutora em História e professora na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal, Brasil, no seu artigo A Vila de Portalegre: povos e instituições, em Portalegre do Brasil – História e Desenvolvimento, UFRN, 2010 (organização de Maria Bernardete Cavalcante e Thiago Alves Dias):  

No geral, a cerimónia feita pelo Juiz de Fora (Miguel Carlos de Pina Caldeira Castelo Branco) era semelhante às de criação de outras vilas. O nome da nova Vila, Portalegre, além da ‘semelhança’ que o Juiz referira ter encontrado entre a situação serrana desta e a de Portugal, provavelmente. está relacionado a uma possível homenagem do Juiz de Fora à terra de seus antepassados, os Castel Branco, que tinham terras e um castelo em Portalegre, distrito do Alentejo. Para a nomeação da nova Freguesia, foi mantido o orago de São João Batista, que havia recebido da antiga Missão do Apodi, adicionado da homenagem à N.ª Sr.ª da Conceição, santa do dia da criação da Vila, ficando como Freguesia de São João Batista e N.ª Sr.ª da Conceição de Portalegre, que só foi oficialmente criada em 11 de Maio de 1764 sendo o primeiro pároco provido Pe. António Coelho do Amaral“.

O dia 8 de Dezembro de 1761 ficou portanto para sempre registado em Portalegre RN, sobretudo no culto mantido desde então em honra da sua Padroeira. Estas cerimónias, e também os festejos Juninos alusivos a São João, são ainda hoje as festas maiores da cidade irmã.

Aniversário do Padre Dário Torboli

Cumprem-se hoje 87 anos sobre o dia em que, na cidade italiana de Arco de Trento, nasceu aquele que viria a ser o padre Dário Torboli, pároco de Portalegre RN, há mais de quatro décadas.

Merecidamente estimado naquela comunidade e em toda a região serrana do Rio Grande do Norte, Brasil, pela sua piedosa e longa acção missionário, o padre Dário tornou-se indispensável na vida dos seus paroquianos e dos inúmeros amigos que conta em todos os recantos onde se encontram aqueles que tiveram a feliz oportunidade de o conhecer e de com ele conviver.

Os portalegrenses, de uma e da outra margem do Atlântico que nos une, devolvem ao padre Dário a fraterna amizade que dele recebem. Os do lado de cá nunca esqueceremos a visita que propositadamente nos fez, em Setembro de 2005, no regresso ao Brasil após a romagem de saudade na sua terra natal.

Foi em Dezembro de 2011 a última vez que pude com ele confraternizar pessoalmente.

A breve recordação de alguns momentos fundamentais da vida do padre Dário Torboli envolve o sincero abraço de felicitações que, no modesto pretexto aqui contido, todos lhe endereçamos, com os votos de que por longos anos de saúde e felicidade possamos contar com tão desvelada acção pastoral e de amizade.

10 de Setembro de 1930 – Nasceu na cidade de Arco de Trento, Itália
20 de Setembro de 1930 – Foi baptizado na capela de Massene, Arco
25 de Março de 1938 – Recebeu a Primeira Eucaristia
10 de Setembro de 1942 – Entrou no Seminário Menor Diocesano em Trento
10 de Outubro de 1947 – Entrou no Seminário Maior Diocesano em Trento
29 de Junho de 1955 – Foi ordenado sacerdote na Catedral de Trento
1955 a 1958 – Nomeado Vigário Coadjutor na Paróquia de Civezzano, Trento
1958 a 1964 – Nomeado Vigário Coadjutor na Catedral de Trento
1964 a 1970 – Dirigiu o Internato no Colégio Diocesano de Trento
25 de Janeiro de 1971 – Partiu para o Brasil, como Missionário
9 de Fevereiro de 1971 – Chegou ao Brasil, pelo porto de Santos SP
1971 a 1975 – Nomeado Vigário na Paróquia de N.ª S.ª das Candeias – Goioerê 1975 a 1976 – Nomeado Vigário na Paróquia de São José de Mossoró RN
6 de Janeiro de 1976 – Chegou a Portalegre RN
29 de Junho de 1980 – Solene Concelebração dos 25 anos de vida sacerdotal
6 de Janeiro de 2001 – Celebração dos 25 anos de permanência em Portalegre RN
29 de Junho de 2005 – Missa Solene pelos 50 anos de vida sacerdotal
Setembro de 2005 – Visitou Portalegre, de Portugal, no regresso de Trento
28 de Junho de 2015 – Missa Solene de Júbilo pelos 60 anos de vida sacerdotal