Novo edifício da Prefeitura de Portalegre RN

 

Na manhã da passada sexta-feira, 26 de Maio, foi iniciado o primeiro dia de expediente nas novas Instalações da Prefeitura Municipal de Portalegre RN, depois de sua inauguração.

Na ocasião, foi servido um delicioso café da manhã que contou com a presença de convidados, autoridades religiosas, vereadores, funcionários públicos e a comunidade em geral.

O Prefeito, Eng. Manoel de Freitas Neto, aproveitou para falar aos presentes sobre a importância do Centro Administrativo, onde abriga hoje todas as Secretarias Municipais e também o gabinete do gestor, fazendo com quê a comunidade encontre todos os serviços públicos em um só lugar.

Daqui, do distante Portugal, os portalegrenses locais congratulam-se com a melhoria que o novo edifício da Prefeitura Municipal da cidade serrana do Rio Grande do Norte representa para toda  a comunidade, felicitando vivamente os seus irmãos e amigos brasileiros.

Ainda as eleições em Portalegre RN

Afrânio Gurgel de Lucena, cidadão brasileiro de Portalegre RN, meu colega e amigo, perdeu uma batalha eleitoral no passado dia 2 de Outubro, ao não ser reeleito como vereador na sua terra. Lembrei-o e, à distância e fora das disputas que apenas dizem respeito aos cidadãos locais, bati-me por ele. Não o fiz apenas por amizade mas por admiração, pois conheço as suas motivações e a qualidade e sinceridade do seu trabalho em prol daquela comunidade serrana potiguar.10-afranio

Afrânio Lucena, que desempenha actualmente o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Portalegre RN desde o passado dia 16 de Setembro, quis ali deixar bem vincado o seu testemunho perante o desaire, apenas uma batalha e nunca uma guerra perdida.

Porque é muito fácil ser-se grande e generoso quando se é vencedor e muito difícil manter tal coerência na derrota, mais valem por isso as palavras do pronunciamento que Afrânio quis deixar expresso nesta circunstância. Por isso, aqui o reproduzo, no respeito pela sua grafia à moda do país irmão.

Renovo, neste pretexto, a amizade e admiração pessoais por Afrânio Gurgel de Lucena, na perfeita convicção de que a sua persistente e bem informada luta pelo desenvolvimento da cidade irmã de Portalegre RN persistirá com o mesmo entusiasmo e proveito.

 CÂMARA MUNICIPAL DE PORTALEGRE RN
PRONUNCIAMENTO EM SESSÃO – Portalegre/RN, 07 de Outubro de 2016

Não tenho nada a dizer sobre o meu resultado político no último pleito de 02 de Outubro de 2016, até teria se desejasse julgar ou acusar, mas prefiro refletir com a consciência plena ao que fiz e faço bem feito como vereador, mesmo que falar ou fazer aqui na Câmara Municipal de Portalegre/RN nada importa para o reconhecimento de parte da população, mas vale para minha tranquilidade, pois a ciência do dever cumprido engrandece o homem como pessoa e como político.
Não desejo ressentimentos para meu currículo, pois tudo que me propus a realizar, defender ou requerer (pedir) foi pensando no coletivo e no bem comum de todos, isto é e continuará a ser o meu propósito de vida política e pessoal, ou seja, pensar no outro como plenitude de trabalho representativo e de qualidade. Diante disso, cito o poeta paulista José Paulo Paes que reflete muito bem essa situação, quando diz: “[…] Compreendo o pão dividido./ Não brinco de juiz, não me disfarço de réu./ Aceito meu inferno, mas falo do meu céu.”. Falar de “céu” é demonstrar com clareza que realizei com cidadania, ética, moral e transparência o mandato que me foi conferido pela população em 2012. Eis a consciência limpa!
Mas, também é dizer que meus propósitos pessoais e políticos em prol de Portalegre não serão finalizados agora, nem tão cedo, uma vez que, sustentado pelas palavras do escritor paraíbano José Américo de Almeida, explico que: “Ninguém se perde no caminho da volta, porque voltar é uma forma de renascer.”
Assim, vos digo que RENASCI em 03 de Outubro, quando, diante de familiares e amigos que pensavam que eu desistiria, lancei minha candidatura 2020. Assim, a vida segue, o trabalho continua e Deus nos abençoa em cada passo e ações!!
 Nada mais a declarar, encerro a presente sessão parabenizando aos reeleitos e eleitos. Ao mesmo tempo, agradeço a presença de todos.

Afrânio Gurgel de Lucena
 PRESIDENTE

Eleições em Portalegre do Rio Grande do Norte

07-portalegre

Realizou-se no passado Domingo a 1.ª volta das eleições autárquicas no Brasil. A forma de eleição dos prefeitos, cargo correspondente em Portugal ao do presidente, e também dos vereadores, também nominal, é diferente da usada entre nós. De qualquer forma é inegável o seu valor democrático e, em certos aspectos, parece mais fiel e realista do que o sistema de Hondt entre nós praticado.

Para os portalegrenses portugueses não deveria ser indiferente o que se passa na cidade sua irmã no Rio Grande do Norte. Mas infelizmente, com responsabilidade de ambas as partes, a fraternidade jurada e assinada está bastante amortecida.

No entanto, no respeito pelas raízes comuns e pela memória do passado histórico, será útil manter o diálogo mínimo que possa alimentar os laços que nos unem, procurando se possível fortalecê-los.

07-eleicoes-ptg-rn-1

O prefeito agora reeleito para Portalegre RN é um amigo, precisamente aquele que, no já distante Outubro de 2004, nos acolheu, à embaixada portuguesa, como irmãos na sua terra.07-manoel-neto

O engenheiro agrónomo Manoel de Freitas Neto acaba de vencer com brilho mais um pleito eleitoral. Já aqui o felicitara há quatro anos e volto agora a fazê-lo, na certeza de que, sob a sua direcção, o novo elenco autárquico continuará a obra de afirmação da linda e progressiva cidade serrana.

Não posso esquecer Afrânio Lucena, candidato a um lugar de vereador, que ficou pelo caminho ao perder por muito pouco a possibilidade de reeleição. O valor da sua intervenção anterior e o papel inestimável que já prestou na comunidade portalegrense bem justificariam um diferente resultado. Mas em Democracia temos de respeitar a soberana vontade colectiva do povo, o que também já me aconteceu…

Espero e desejo, com um abraço de solidariedade ao colega e amigo Afrânio Lucena, que a sua forte personalidade ultrapasse este desaire e que a sua acção em prol de Portalegre RN se mantenha tão forte e decisiva como anteriormente.

De entre as alusões às eleições portalegrenses, achei como mais curioso a de Boanerges Júnior, patente no seu blog Sertão Potiguar. Por isso, com a devida vénia, aqui a reproduzo, mantendo-lhe textualmente o interessante estilo.

07-serao-potiguar

 PORTALEGRE RN

Neto da EMATER entrou para a história da política portalegrense como a maior liderança existente. O prefeito foi reeleito com uma maioria esmagadora sobre Antonino Rêgo (“Careca”) que foi o responsável por introduzir Neto na política portalegrense.
A ‘criatura’ superou e venceu o ‘criador’, aplicando-lhe uma ‘sueca’ (venceu em todas as urnas). Fato similar já tinha ocorrido em Portalegre quando o “Careca” aplicou uma ‘sueca’ em Euclides Pereira na eleição de 1992.
O conhecimento que Neto tem da política local e sua capacidade de ‘articulação’ são ‘trunfos’ imbatíveis. O prefeito Neto conhece tanto o eleitorado que sabe quando e como chegar em cada um e, mais do que isso, conhece os pontos fracos dos adversários.
Enquanto Neto trabalha com profissionalismo e método, quase perfeccionista, os adversários são amadores, dispersos e com baixíssima capacidade de ‘articulação’.
O que mais impressiona na capacidade do prefeito Neto é o controle que tem para influenciar na eleição dos vereadores. Fez seis vereadores: Dorinha, Neto do padre, Edson do sindicato, Márcio da bica, Erneide (nora de Euclides), Nilcivan do Bonsucesso.
A vereadora Dorinha tem serviços prestados na saúde, mas ninguém tem dúvida de sua ligação com o prefeito. A filha é secretária da pasta da Saúde e a vereadora é cunhada do prefeito.
O vereador Neto do padre é o homem de confiança do prefeito nas associações comunitárias e sempre conta com o apoio pessoal de Neto da EMATER em sua campanha.
O vereador Edson do sindicato é ligado aos trabalhadores rurais e é o atual vice-prefeito. Abriu mão de sua condição de vice-prefeito e, também por isso, contou com a atenção especial do prefeito Neto da EMATER.
O vereador Márcio da bica foi, segundo uma fonte, o candidato que o prefeito mais tinha interesse em elegê-lo. Tornou-se quase uma questão pessoal de Neto ajudá-lo na eleição, tendo em vista a lealdade e a ajuda de Márcio na eleição de 2012.
A vereadora Erneide contou com o respaldo do ex-prefeito Euclides, afinal foi a representante da família no pleito.
Não disponho de informações sobre o vereador Nilcivan do Bonsucesso e por isso não sei se contou com a ajuda direta do prefeito Neto.
O único vereador do grupo mais próximo do prefeito que não conseguiu renovar o mandato foi Afrânio Lucena e creio que isto ocorreu porque Neto deve ter considerado a possibilidade de eleger sete vereadores, mas, certamente, a situação será resolvida, puxando-se um dos seis eleitos para o secretariado ou acomodando o vereador não eleito numa secretaria.
Não estou desmerecendo a capacidade de trabalho e os serviços prestados pelos candidatos(as) eleitos(as), mas é notória a influência que Neto exerce.

Afrânio de Lucena, um amigo portalegrense

No início do período legal em que começa no Brasil a propaganda eleitoral gratuita27 afranio 0 através da rádio e da televisão, quero aqui aludir às próximas autárquicas no país irmão.

Estas eleições vão acontecer, na sua primeira volta, no dia 2 de Outubro de 2016 e o meu interesse é exclusivamente motivado pela cidade nordestina de Portalegre RN, a que estou ligado por profundos laços pessoais e da qual sou cidadão honorário.

Naturalmente, esta condição não me permite votar, mas nem por isso me são indiferentes a gestão e o progresso daquela linda cidade, que acompanho à distância sobretudo através dos contactos pessoais que mantenho e dos meios que a Internet progressivamente coloca à nossa disposição.


27 afranio 2Os processos eleitorais de Portugal e do Brasil são bastante distintos. Cada um dos sistemas oferece, a meu ver, vantagens e desvantagens. No que diz respeito às autarquias, prefeituras para os brasileiros e câmaras para nós, o processo eleitoral assenta aqui nos partidos e lá nas pessoas. Enquanto em Portugal são listas colectivas partidárias de entre as quais a aplicação do método de Hondt forma os elencos finais, no Brasil é cada cidadão que se propõe individualmente, ainda que quase sempre contando com cobertura e apoio partidários. Há portanto votações distintas e individualizadas para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador.

Pessoalmente, concordo com este último sistema, pois assenta muito mais na responsabilização personalizada, tanto no relativo à eleição como, sobretudo, na permanente actuação posterior dos eleitos. No nosso caso, são quase sempre diluídas as incompetências pessoais e é praticamente ignorado o desrespeito pelas promessas eleitorais. Tudo se esvai e perde num acéfalo conjunto, onde as culpas não cabem a ninguém…27 afranio 3

O Afrânio é, de há anos, um meu bom amigo em Portalegre RN. Colegas de profissão, unem-nos diversos interesses para além dos pedagógicos.

Justificando na prática quotidiana a sua dedicação à cidade onde há muito vive, Afrânio Gurgel de Lucena integra o actual elenco da prefeitura como vereador. Tenho acompanhado o seu permanente e informado labor em vistas ao progresso de Portalegre RN.

Agora, no termo deste desempenho, o Afrânio dispõe-se a continuá-lo, pelo que é candidato a um novo mandato, integrado no PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) no seio da coligação Portalegre no Caminho Certo.

O activo papel que ele tem desempenhado como dinâmico colaborador do prefeito e como diligente e responsável membro da câmara legislativa municipal nestes quatro anos é consensualmente reconhecido, pelo que acredito que a sua reeleição vai acontecer com inteira naturalidade.

Os objectivos que ele anunciou e vai prosseguir falam pela sua vontade política. Espero que o Afrânio, após a eleição, lhes junte um permanente desígnio de intensificação das fraternas relações com a cidade irmã alentejana e portuguesa de Portalegre. Não podemos deixar perder essa ligação…

27 afranio 1

Na notável comemoração que Portalegre RN levou a efeito em 2011 a quando dos 250 anos da sua fundação, foi Afrânio a principal alma de tão complexa como bem sucedida organização. Pude apreciar ao vivo o resultado da sua inteligente e trabalhosa actuação, à frente de uma equipa coesa e funcional.

Sempre ele me dedicou uma fraterna amizade que agora recordo num momento importante da sua repetida disponibilidade ao serviço da cidade de Portalegre RN.

Entre os amigos que guardo dos sucessivos encontros pelas terras da costa e do interior serrano do Rio Grande do Norte como das montanhas do Norte Alentejano, o Afrânio tem um lugar especial.

Por isso, à distância que o mar separa mas a memória comum anula, daqui lhe envio um abraço de amizade e os sinceros votos de uma campanha eleitoral de merecido e justo sucesso.

António Martinó de Azevedo Coutinho

O São João em Portalegre RN

23 junho ptg rn

Quando em 8 de Dezembro de 1761 o juiz português Miguel Carlos, meu pentavô, assinou o auto relativo ao solene levantamento do pelourinho da Vila de Portalegre e à instalação da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição e São João Baptista mal poderia imaginar que estes padroeiros se tornariam perene motivo de comemoração local.

Com efeito, tanto Nossa Senhora da Conceição como São João Baptista continuam, hoje e para sempre, pretextos portalegrenses para as maiores festividades da linda cidade serrana potiguar, irmã da Portalegre alentejana.

Duzentos e cinquenta e cinco anos depois da fundação, as datas de 24 de Junho e 8 de Dezembro continuam marcantes na sociedade portalegrense brasileira. Já presenciei pessoalmente a segunda e, embora não tivesse repetido essa inesquecível experiência com as Festas Juninas, pude ao menos admirar, com outros portalegrenses portugueses, a espectacular arte exibicional cénica da associação Arraiá da Juventude, numa das suas manifestações colectivas públicas mais tradicionais.

Torna-se evidente que estes festejos possuem hoje influências de cunho religioso e pagão, em natural contaminação recíproca que os anos foram sedimentando. Mas a essência de homenagem ao Santo, profeta e pregador, mantém-se.

O São João Alegre, a maior e mais participada festa junina do Alto Oeste brasileiro, numa realização da Prefeitura Municipal, inclui os números de agrado certo, para além da solene comemoração religiosa. As barracas com comida típica, artesanato e outras atracções, as quadrilhas e os passeios de carroça, o folclore e a música nordestina constituem uma programação de excelência, susceptível de congregar residentes e visitantes.

Neste pretexto festivo, envio daqui um abraço de solidária amizade e admiração aos irmãos portalegrenses do outro lado do mar que nos une, muito em particular saudando o prefeito Manoel Neto, o vereador e colega Afrânio Lucena e o padre Dário Torboli, amigos de sempre e para sempre.

 António Martinó de Azevedo Coutinho

Divagações pessoais sobre o santo do meu nome – 2

divagações sobre o meu santo

Depois de uma primeira divagação pessoal sobre António, o santo do meu nome, restam-me duas. Vou hoje usar uma destas e fica a derradeira para uma próxima oportunidade.

Esta de hoje tem a ver com um guia, mais concretamente o Guia do Forasteiro nas Festas Antonianas. Tem a bonita idade de 121 anos, pois a edição data de 1895.

Mas o mais significativo neste vetusto volume de bolso que me pertence é o facto de estar autografado e logo na capa, num cuidado manuscrito em diagonal. A assinatura e anexa mensagem rezam, textualmente, assim:

Anna Guilhermina Larcher Roxo de Albuquerque, de seu genro quando a quiser massar.

A interpretação que faço desta mensagem é a de o guia ter sido oferecido a uma sogra por um genro que a quis com isso maçar, ou chatear, como hoje diríamos. É óbvio que muitas outras interpretações podem ser deduzidas do enigmático escrito. Sou um feroz adepto de que o sentido de toda e qualquer mensagem cabe em primeiro lugar ao seu receptor, desde que saiba explicar as razões pessoais de tal interpretação ou descodificação. Isto equivale a dizer que aceito outros distintos entendimentos. Porém, não vim aqui discutir o fenómeno da Comunicação, mas revelar uma divagação pessoal antonina.

Ana Guilhermina foi minha trisavó.

Portalegrense, nascida em 1815 (há pouco mais de 200 anos), casou em 1839 com Miguel de Albuquerque Caldeira Castelo-Branco, neto do meu pentavô Miguel Carlos, o homem que fundou a cidade irmã brasileira de Portalegre no Rio Grande do Norte, crónica que já aqui descrevi em Meu Avô Brasileiro. Mais tarde, em 1874, ela seria avó do meu avô paterno Miguel de Albuquerque de Azevedo Coutinho.

Para melhor se compreender esta directa e simples genealogia familiar elaborei uma sumaríssima árvore onde apenas anotei o essencial.

div 3 quadro genealógico AC

Daqui posso depreender, embora tenha havido alguns casos anteriores, que deriva em boa parte da responsabilidade da trisavó Ana Guilhermina a fixação do ramo familiar sediado em Portalegre. Não esqueço, por exemplo, que o pai de Miguel Carlos e este próprio já ali tinham vivido antes, no palácio dos Castelo Branco, hoje Museu da Tapeçaria, porém de forma esporádica ou passageira.

Catarina Micaela, filha de Ana Guilhermina, após casar em Portalegre com o jurista lisboeta Martinho de França e Faro de Azevedo Coutinho, teve aí os seus três filhos, Helena Antónia (do Palácio Amarelo), João Maria (que casaria com Maria Adriana le Cocq) e Miguel, o meu avô.

Por esta razão, considero a trisavó Ana Guilhermina como responsável primeira, ou originária, do ramo portalegrense dos Azevedo Coutinho. Terá sido o meu bisavô Martinho de França o genro que a maçou com a oferta do Guia do Forasteiro nas Festas Antonianas? Isso já não posso garantir, embora deva considerar na apreciação do caso que, em 1895, a sogra Ana Guilhermina tinha oitenta anos de idade…

O Guia é um preciosíssimo repositório do comércio e da indústria lisboetas através das centenas de pequenos e grandes anúncios que enchem boa parte das suas mais de 150 páginas. Fora isso, a informação é muito completa, contendo um artigo literário sobre a vida de Santo António, o programa oficial dos festejos, a descrição desses festejos nas ruas, monumentos, curiosidades a ver em Lisboa e, finalmente, todas as indicações que pudessem ser úteis ao forasteiro que visitasse essa cidade que desconhecia. Segui mais ou menos a descrição que consta como subtítulo do trabalho da autoria de J. M. Santos Júnior (Santonillo) e A. Morgado.

Este fabuloso conteúdo fornece-nos uma interessantíssima perspectiva de Lisboa no tempo dos festejos dedicados ao 8.º Centenário do nascimento do alfacinha Fernando de Bulhões, que o mundo viria a conhecer como Santo António de Lisboa. Ou de Pádua, na versão italiana…

div 1 div 2

Resta-me deixar aqui duas indicações complementares, a de que o conteúdo essencial do Guia me servirá para alimentar próximas publicações na secção Velhos são os Trapos mas não os Papéis ! e também a de que as Comemorações Antonianas (ou Antoninas) de 1895 constituíram um acontecimento rodeado de imensa polémica, que teve imprevistas e consideráveis consequências religiosas, políticas e sociais.

Mas isso é outra história que aqui não cabe.

Integrada na longa e cuidada preparação das Comemorações, em 14 de Fevereiro de 1894 fora fundada a Pia União de Santo António, que tinha como porta-voz em Portugal o jornal Voz de Santo António, sediado em Braga, cujo número inaugural saiu em Fevereiro de 1895.

A propósito, ainda nada recebi sobre a minha eventual manutenção ou exclusão como membro da Pia União…

António Martinó de Azevedo Coutinho

Não conhece o Nordeste brasileiro? É uma boa altura!

10 Fugas público 21 11

Notícias da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte – Brasil

 Lideranças do Alto Oeste reivindicam acções
para incremento do turismo na região

A região Oeste do Brasil quer mais visibilidade e aumentar a criação de emprego e rendimento para a população através do turismo sustentável, aproveitando o potencial dos seus municípios. Esta reivindicação foi exposta por prefeitos e vereadores da região na audiência pública realizada na manhã da segunda-feira, 30 de Novembro de 2015, na Assembleia Legislativa, numa iniciativa do deputado Carlos Augusto Maia.

Vivemos um dos piores períodos de estiagem e temos procurado trabalhar soluções efectivas na assistência aos produtores rurais e às populações que sofrem com a falta de água. Mas há outra frente em que devemos trabalhar também com todo afinco, numa missão igualmente imposta pela realidade da seca, que é a busca por alternativas económicas para o sertão, a fim de que possamos valorizar mais as nossas riquezas e gerar emprego e rendimento e o turismo pode ser esse caminho”, afirmou Carlos Augusto.10a natal

Na audiência pública foi apresentado o projecto Circuito das Serras, iniciativa do professor Gilton Sampaio, que reúne empresários, comerciantes e pessoas dos mais diversos sectores, que estão voluntariamente trabalhando para expandir o turismo no interior, principalmente na região serrana. O projecto já tem várias acções e materializar-se-á em forma de livro, a ser lançado em breve, com ampla cobertura fotográfica e descrição de todos os atractivos, contemplando as potencialidades dos municípios. Será um verdadeiro tratado dos potenciais turísticos em todas as suas vertentes: turismo religioso, de aventuras, cultural, ecológico, entre outros. Além do proponente, o debate contou com a presença da bancada de deputados que representam a região: Galeno Torquato (PSD), Getúlio Rêgo (DEM), Gustavo Fernandes (PMDB) e Raimundo Fernandes (PROS). O deputado Ricardo Motta (PROS) também esteve presente no debate.

10b fotoForam vários os encaminhamentos do debate. A primeira sugestão, dos deputados Getúlio Rêgo e Raimundo Fernandes, é uma audiência para breve, reunindo prefeitos e deputados com o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB). Os prefeitos também querem mais investimentos na melhoria das estradas e da segurança. Foram citadas especificamente as estradas de Venha Ver e Luís Gomes. Outra sugestão é que o Governo do Estado, através da Fundação José Augusto (FJA), elabore um guia turístico de boa qualidade em parceria com a equipa do Circuito das Serras.10c rn29

Foi consensual entre os participantes a necessidade de a Secretaria de Turismo do RN elaborar a sinalização do roteiro e a definição, por parte das prefeituras, da relação com todos os prédios a serem classificados, para que as próximas gerações tenham oportunidade de conhecer estas riquezas arquitectónicas. Os prefeitos reivindicaram ao Sistema S (Sesc, Senac, Sesi e Senai) um planeamento anual de cursos e assessoria para capacitação da mão de obra local.

10d i354132O ex-prefeito de São Miguel, deputado Galeno Torquato, ressaltou as potencialidades da região em relação ao turismo nas suas mais variadas vertentes. Segundo Galeno, o turismo pode configurar uma importante fonte de criação de rendimento e empregos para a região. “Precisamos de consolidar a parceria entre os municípios e dotar essas cidades de infraestruturas adequadas e, sobretudo, de divulgação. O Rio Grande do Norte não se resume ao turismo litoral. Temos pelo menos 43 municípios naquela região, cada um com as suas potencialidades, que precisam de ser conhecidas, não só pelos próprios potiguares, mas pelos turistas de outras localidades”, comentou Galeno Torquato.

Incentivo ao Turismo

Autor da Lei do Turismo, que cria um fundo especial para esta actividade, Gustavo Fernandes disse que a legislação vai permitir uma divulgação maior do Rio Grande do Norte em feiras e eventos. Gustavo destacou a expectativa em torno do teleférico, obra que necessita de recursos e vai beneficiar não só Martins, mas a região de uma forma geral. “Martins tem quase 700 camas e belezas naturais que fazem girar a economia da região de uma forma geral. É 10e foto-galeria-materia-620-92importante esta luta em torno do teleférico”, afirmou Gustavo.

O deputado Getúlio Rêgo disse que é importante aproveitar o momento em que o Estado conta com um ministro do Turismo: “O momento é extremamente favorável e devemos levar por diante esta audiência. Temos clima, gastronomia, hospitalidade, mas precisamos urgentemente de melhorar as nossas estradas, que estão esburacadas”, afirmou. O deputado Raimundo Fernandes ressaltou as qualidades dos municípios: “Quem visita Venha Ver, Luís Gomes ou Major Sales, por exemplo, quer visitar novamente. Outros querem até ir morar. Quem vai a Portalegre não se esquece do seu povo”, destacou Raimundo.

10f Um-pouco-sobre-as-sete-maravilhas-do-Rio-Grande-do-NorteA Subsecretária de Turismo, Solange Portela, prestou contas das acções que o Governo do Estado está realizando em favor do turismo. Solange garantiu que está sendo feito um novo mapeamento das regiões, para reparar um equívoco em que a região Oeste não era mencionada. “Também estamos fazendo a elaboração do instrumento de planeamento aqui da região, dentro do programa de regionalização do Ministério do Turismo”, afirmou.

O vice-presidente da Emprotur, Haroldo Azevedo Filho, afirmou: “É preciso dar esse estatuto de que o interior precisa. Não é porque existe crise que vamos cruzar os braços. Nas inúmeras feiras em que participamos mostramos que aqui não existe somente sol e mar, mas também a paisagem do interior”, disse Haroldo.10g 0%20Portalegre%20-%20Cachoeira%20do%20Pinga%20Portalegre

Os prefeitos de Riacho da Cruz, Bernadete Rêgo (PMDB), Luís Gomes, Mariana Fernandes (PMDB), Portalegre, Manoel de Freitas Neto (PP), José da Penha, António Dólar (PMN); Venha Ver, Expedito Salviano (PR) e Major Sales, Thales Fernandes (PMDB) pronunciaram-se representando os seus municípios e reivindicaram acções efectivas.

***

Subscrevo integralmente a esperança e as certezas aqui contidas. Porque conheço as fabulosas qualidades do litoral do Rio Grande do Norte, com destaque para a acolhedora capital que é a cidade de Natal, assim como as do seu interior serrano, sobretudo centrado em Martins e Portalegre.
10h torres-de-portalegre
As paisagens desta região montanhosa, a sua carga histórica, a riqueza gastronómica que oferece a par de um clima quase familiar e, sobretudo, a hospitalidade das suas gentes são atractivos que vale a pena conhecer e usufruir.
Este recente reforço, nascido da própria iniciativa local, da divulgação e promoção das potencialidades turísticas do Alto Oeste, já apoiadas por um excelente parque hoteleiro, pode trazer à região um afluxo de turistas que desejarão sempre voltar.
Eu, que não me sinto ali um estranho, sinto sempre a saudade daquelas serras em volta de Portalegre RN, a lembrar a minha São Mamede natal…
Já agora, aproveito a “boleia” (“carona” como aí se diz, apesar do acordo!) para dizer aos irmãos portalegrenses do lado de lá do Atlântico que aqui segui, como sempre, a vossa festa maior, em torno da Padroeira que o fundador, Miguel Carlos, vos dedicou – a Imaculada Conceição.

10 ptg rnDaqui acompanhei a festa, a procissão, a música, as celebrações religiosas, enfim a animação com que os portalegrenses sabem viver os seus pretextos de convívio e homenagem, como aconteceu neste aniversário da Fundação. Mais um, no Futuro de progresso e desenvolvimento que aí se vai construindo.

 António Martinó de Azevedo Coutinho