Um bravo leão portalegrense

 

O portalegrense Luís Gonçalves, atleta paralímpico do Sporting Clube de Portugal ao serviço da Seleccão Nacional, alcançou a sua segunda medalha nos recentes Mundiais de Atletismo de Londres, elevando para quatro os pódios leoninos nestas provas de Desporto Adaptado.

O atleta portalegrense do Sporting Clube de Portugal demonstrou o seu grande momento de forma ao conquistar na passada sexta-feira, 21 de Julho de 2017, a medalha de bronze nos 200m, após a prata nos 400m.

Foram portanto quatro as medalhas leoninas neste Mundial, o que representa a melhor participação de sempre dos atletas verde-brancos seleccionados para Campeonatos do Mundo de Desporto Adaptado.

Medalheiro do SCP:
Luís Gonçalves (prata nos 400m e bronze nos 200m)
Érica Gomes (prata no salto em comprimento)
Carolina Duarte (bronze nos 400m e 4.° lugar nos 100m)

1917 – há cem anos – trinta e três

30 de Julho – “França. A tosse vai desaparecendo? Em todas as igrejas de França existe a imagem de Joana d’Arc. Julgo que já te disse que a parte da casa mais cuidada é a cozinha; até aí colocam o piano! (…) Esta noite consegui dormir. Raro é o dia em que não chove ou troveja“.

O balanço postal relativo ao mês de Julho de 1917 mostra-nos: vindos de França, são 31 postais, dos quais 27 do tipo romântico, 2 de tema infantil e dois (dias 24 e 25) pintados à mão, enquanto de Portalegre se contam, apenas, duas cartas.

Desde 31 de Julho, com prolongamento até 6 de Novembro, travar-se-á a terceira e sangrenta Batalha de Ypres. Os britânicos, os australianos e os canadianos abrirão difícil caminho para a aldeia de Paachendaele.

Foi também neste mês de Julho de 1917 que a Inglaterra lamentou retirar do serviço português um dos dois navios que asseguraram a rotação das unidades, segundo nos conta a “História de Portugal”, dirigida por João Medina, Ediclube, 1933.

E em Agosto continuam os anos da Guerra, em França, “traduzidos” nos bilhetes postais ilustrados do capitão José Cândido Martinó para a filha Benvinda, em Portalegre, assim como as respostas desta.

 “O Tagarela” n.º 2, datado precisamente de 1 de Agosto de 1917, insere no seu “Carnet Mondain” (pág. 5) uma notícia pessoal relativa ao maestro militar: “Vai partir brevemente para a 1.ª D. o nosso querido amigo e insigne ‘maestro’ Martinó. Boa viagem, saúde e … [Notícia atrasada na Redacção, porque como sabemos já tinha partido!]”.

O próximo “capítulo” da presente evocação será dedicado, como anteriormente se fez, à reprodução integral do segundo exemplar deste “jornal das trincheiras”.

Entretanto chegou a França mais uma missiva de Portalegre.

28 de Julho – Portalegre: “Eu vou passando melhor, bastante melhor da coqueluche que, em princípio, me apoquentou bastante. Fui bem tratada. (…) Diziam que era moléstia para seis ou mais meses e que teria de mudar de ares, mas até ao presente nada disso foi preciso. Fiz no dia 14 o meu exame, ainda com muita tosse, mas com muita coragem“.

Em 5 de Agosto, “O Distrito de Portalegre” publica mais uma lista de: “Baixas em França. Infantaria 22. Faleceram de 8 a 21 de Julho, por efeito de ferimentos em combate: 1.ª Companhia de Portalegre: 1.º cabo n.º 549, António Belo Alfaia; 1.º cabo n.º 369, Reinaldo Mendes; soldados n.º 323, Custódio Mourato Ceia; n.º 363, José Brito; n.º 927, Manuel António; n.º 165, António Bruno. 5.ª Companhia de Abrantes: soldado n.º 466, José Martins (poderá ser este o nome a mais na relação de 8 de Julho?!). 9.ª Companhia de Elvas: soldado n.º 154, Joaquim Manuel.

10 de Agosto – “França. Faço votos pelo teu completo restabelecimento. Julgo que retiro no dia 15; aqui estava muito melhor mas não posso continuar porque tem que passar por todos. (…) O tempo continua a estar mau. Hoje talvez vá dar um passeio de automóvel a uma cidade já minha conhecida e bastante bonita“.

11 de Agosto – “França. Muito estimo  a continuação das tuas melhoras. (…) Sempre é no dia 15 que retiramos. Ontem não pude dar o tal passeio de automóvel. (…) Já recebeste algum bilhete meu com alguma palavra cortada ou pincelada?

As preocupações com a potencial intervenção da censura continuam…

12 de Agosto – “França. Fui hoje dar um belo passeio de automóvel; encontrei-me com alguns amigos que ainda cá não tinha visto. Os passeios de automóvel têm sido muito baratos”.

O jornal “O Distrito de Portalegre”, em 12 de Agosto de 1917, repetia a notícia já conhecida: “D. Maria Joana Dias Gonçalves. Mais uma vez esta senhora, distinta professora de ensino particular, mostrou o seu amor pela causa da instrução. Todos os seus alunos obtêm sempre boas classificações, o que prova as faculdades de inteligência de que é dotada e o seu aturado trabalho. Apresentou este ano a exame com óptimo resultado os seguintes alunos: 1.º grau – Benvinda d’Alegria Ceia Martinó…”

Ao lado, o mesmo jornal apresenta uma outra notícia, de tom muito menos agradável: Infantaria 22. Baixas em França. No dever sagrado da defesa da Pátria, faleceram em França de 21 a 28 de Julho; por efeito de intoxicação de gases: 1.ª companhia, N.º 174, Artur Gonçalves; 384, Apolinário Raimundo Cardigos; 486, Francisco Marques; 596, José Luís; 684, Augusto da Silva; 691, António Acates. Por efeito de ferimentos: 6.ª companhia, n.º 278, José Alves Pereira”.

Noutros semanários locais, como de costume pouco rigorosos, as relações acusam nomes diferentes ou variantes…