Dia Mundial da Liberdade de Pensamento

O Dia Mundial da Liberdade de Pensamento ocorre anualmente a 14 de Julho.

A liberdade de pensamento é um direito consagrado pela Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, adoptada a 10 de Dezembro de 1948.

Segundo o artigo 18: “Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou colectivamente, em público ou em particular”.

Ser livre para pensar é o expoente da liberdade individual. Neste dia apela-se à reflexão sobre o significado de liberdade de pensamento e à extinção do fosso existente entre esta liberdade e a liberdade de expressão: entre os pensamentos interiores e as manifestações exteriores dessas visões pessoais.

O artigo 19 da mesma declaração refere: “Todo homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”.

A data alude à Queda da Bastilha, que assinalou o início da Revolução Francesa.

Os mapas de Yanko Tsvetkov – 01

Yanko Tsvetkov é um artista búlgaro que vive na Espanha, escreve em inglês e publica livros na Alemanha, França, Rússia, Turquia, Itália e China. Ele visitou vários continentes, passou por selvas densas, fez piqueniques em desertos escaldantes e utilizou alguns táxis em metrópoles movimentadas. Hoje leva uma segunda vida como uma espécie de super-herói que luta contra o preconceito

Este homem cria os mapas de estereótipos mais atrevidos e provocatórios do mundo.

Não há nada melhor que um bom mapa – eles são bonitos de se ver, fáceis de ler, factuais e, acima de tudo, têm algo interessante a dizer sobre o mundo, a nossa cultura e o nosso modo de vida, desde o começo dos tempos até aos dias actuais. Crianças, adultos, dinossauros e todas as outras coisas chatas no meio ambiente foram mapeadas. Então por que não mapas de ignorância?

Num mundo regido por estereótipos nacionais e ignorância, o designer gráfico búlgaro Yanko Tsvetkov decidiu abordar a questão de frente e produzir o Mapping Stereotypes Project, que mapeia os estereótipos predominantes em todos os países do mundo.

Tsvetkov não é nem de perto tão tacanho quanto os seus mapas. Ele fala várias línguas, viveu em todo o mundo e sente-se confortável em toda a Europa. “Tenho amigos na maioria dos principais países europeus”, diz ele. “Trabalho como designer, e então somos uma grande comunidade. Nós somos o ideal europeu”.

Naturalmente, muitos ficarão irritados com esses mapas, que reforçam estereótipos não apenas para entreter e divertir, mas também para ridicularizar a estreita mentalidade da condição humana. Como é o modo europeu.

Tsvetkov argumenta: “Se houver um problema sério, prefiro apresentá-lo de uma maneira engraçada … Acho que há bastante audiência honesta e imparcial, e um monte de gente que pode analisá-lo melhor do que eu.”

Dê uma olhada aos mapas e veja se concorda.

Vamos apresentar mais…